terça-feira, 31 de julho de 2007

Perdendo dentes


O título escolhido para a postagem é uma homenagem a uma música do Pato Fú que adoro. Aliás, não me lembro de alguma que eu não goste. Falando em Pato Fú, perdi o show deles na sexta. Ô frustração, meu Deus!
Mas quando pensei no tema da canção estava pensando também nos diversos tombos que levamos no decorrer de nossas vidas. Caímos, nos machucamos e algumas vezes demoramos um tempo considerável para nos levantar, mas nos levantamos e nos fortificamos cada vez para vencer obstáculos maiores.
Existem os mais diversos tipos de causa de tombos, dentre estes, as rasteiras. As rasteiras geralmente são dolorosas, e o causador destas é o homo sapiens, uma espécime com uma característica bastante contraditória: ao mesmo tempo que este pode ser um grande amigo ou até mesmo um amor, passando momentos maravilhosos ao seu lado, este mesmo ser pode lhe jogar no chão. Mas a natureza é sábia, fazendo jus aos atributos do homo sapiens, que no latim quer dizer: homem sábio ou homem inteligente. Ela dá a sabedoria, e ele a utiliza como quiser. Uns utilizam para pregar rasteiras, outros utilizam-na para se levantar, sacudir a poeira, dar a volta por cima e ser feliz.


4 comentários:

Flávia disse...

Ih...

Essas coisas com endereço certo... mas é isso aí. Seja sapiens: busque mesmo ser feliz.

Beijão.

DO disse...

Ou como bem dizem por ai,atualmente, construir um novo caminho,não é??

Gostei da abordagem.
Beijão!!

As partes interessadas disse...

Vixi, que acho que esse discurso deve ter dono... Espero que sacuda a poeira então, amiga! Bjo!

Um ser pensante disse...

Ou dona, hehehe